Busca

Prometheus

Instituto Junguiano

Autor

raissairie

Tempos de Reflexão

De tempos em tempos o Planeta Terra convulsiona, seja através de seus processos naturais, seja através das ações desmedidas do Homem sobre Ela, seja através dos infortúnios arquitetados por seres Pré Humanos, cheios de ganância, arrogância e desejo de poder a qualquer custo. Independentemente de onde provenha o desalinho e os perigos mortais ou não deste momento, penso que se faz necessário arrancarmos forças e confiança das profundezas de nosso Ser para mantermos o equilíbrio e a serenidade para que não sejamos tão somente o não transmissor de um agente biológico. Necessitamos, sobretudo, não nos tornarmos transmissor de um patógeno psíquico. Este sim tem o poder de causar danos que não tem prazo de validade em reverberação. O contágio psíquico pode ser infinito e devastador. Ou seja, mesmo cessando o perigo real pode continuar fazendo vítimas emocionais que não conseguem se restabelecer, pois, ficam congeladas em suas próprias memórias de medo.
Não podemos, em hipótese nenhuma, sermos displicentes ou negligentes neste momento, porém, também não podemos engrossar a fila daqueles que proclamam uma tragédia desmedida. Precisamos de equilíbrio. Precisamos considerar uma das Leis Universais mais extraordinária do Universo: a Lei da Vibração. Esta Lei postula que “Nada se encontra parado. Que tudo se movimenta. Que tudo vibra”. Traduzindo, isto quer dizer que tudo aquilo que chamamos de Luminoso ou Sombrio; Bom ou Mal; Fortúnio ou Infortúnio; Medo ou Confiança; Esperança ou Desesperança… se movem por igual. Mas, então, se tudo se move por igual o que faz acontecer a preponderância de um sobre o outro? Os Grandes Mestres de Sabedoria nos responderiam que isto ocorre por várias razões, porém, sobretudo, por duas razões especiais: pela forma como a Mente Humana se move e pelas atitudes concretas decorrentes de como a nossa Mente se Move. Diante deste Conhecimento tão peculiar nos fica a seguinte questão: a forma como cada um de nós está se movendo desde há muito tempo e, particularmente, neste momento está otimizando qual polo da Onda? Estamos nos equilibrando individualmente para que o coletivo não colapse e, de fato, o infortúnio deste momento seja passageiro ou estamos auxiliando a amplitude da Onda pela forma como estamos manejando as nossas mentes, as nossas emoções e a nossas atitudes? Creio que tudo isto merece uma acurada reflexão.

O Sapiens, o Planeta e Todos os Seres

Todos nascemos com um quantum mínimo de consciência diferenciada. O extraordinário desafio existencial é, gradualmente, acordar e exercitar uma forma muito especial de percepção que nos permite transcender a ideia de separatividade e nos transportar para a experiência direta da Unidade que existe na Teia da Vida.

Sinta o que os Símbolos comunicam

O Bisão (Búfalo), simbolicamente, nos solicita: Orem/Meditem/Concentrem-se na Harmonia e Paz entre Todos os Seres. Representa a Criatividade da Terra, a Abundância, o Conhecimento da Alma da Natureza, a Generosidade, a Hospitalidade, o Compartilhamento de Trabalho, a Coragem, a Proteção e a Força necessária para vencer os desafios pelos quais passamos, a Formulação de Planos Benéficos que atendem a todos, de conformidade com a medida de cada um. Nos convida a andar pelo Caminho Sagrado, honrado. Nos convida a ajudar a estabelecer uma profunda conexão com a Mãe Terra e o Pai Céu para que possamos ser co-criadores em todos os processos da Vida no Planeta.

Lenda da Mulher do Búfalo Branco  –  Esta Lenda existe há mais de 2000 anos e é originária da Nação Lakota, um dos povos mais relevantes dos chamados Turtle Islands, na América do Norte.

Conta a Lenda que a Mulher do Búfalo Branco apareceu em nosso Mundo durante um período de muita fome, de guerras e desavenças entre vários povos. A história se inicia com dois jovens Lakota, dois guerreiros que passeavam com seus cavalos magros buscando algo para caçar quando, de repente, vislumbraram no horizonte uma figura feminina envolta em uma luz cálida, em uma bruma de fascinantes clarões de luz.

A Mulher estava acompanhada de um Filhote de Búfalo Branco. Era alta, esbelta e usava um vestido com bordados sagrados, uma pluma no cabelo e folhas de sálvia na mão. Era muito bonita, tanto que um dos jovens guerreiros não hesitou em aproximar-se com o desejo de tê-la sensualmente para si. No entanto, e antes que pudesse sequer tocar a sua pele, uma nuvem escura pairou sobre ele disparando um raio de fogo. Ficou carbonizado em poucos segundos.

O outro jovem guerreiro se ajoelhou imediatamente, aterrorizado, entendendo que teria o mesmo destino. No entanto, para sua surpresa, a bela Mulher tocou seus cabelos e, falando em seu idioma, lhe disse que era uma Wakan (O Grande Espírito, O Grande Mistério, O Sagrado, Aquela que Conhece os Mistérios da Criação) e que tinha vindo para auxiliá-los.

A Mulher Sagrada foi recebida com muita reverência no Povoado Lakota. Em reconhecimento a sua Presença Sagrada, prepararam-lhe a melhor tenda, ofertaram-Lhe o que tinham de mais precioso: algumas raízes, alguns insetos, ervas secas e água fresca e, ao acomodá-la no interior, a manhã se transformou em crepúsculo e uma luz de cor âmbar com raios rosados envolveu aquelas Terras por onde se estendiam a fome e a miséria. Depois disso, a Mulher Búfalo Branco os chamou para dar voltas ao redor das tendas para honrar o Sol, para criar um círculo de força com a Vida e agradecer. Mais tarde, apresentou-lhes uma série de práticas espirituais, formas de Reverenciar a Natureza, orando com palavras corretas e proferindo ritos ancestrais que o Povo Lakota já havia esquecido completamente.

E, mesmo já o povo havendo esquecido os Conhecimentos de Sabedoria, Ela os convidou a entoar cânticos para fazer a Terra Feliz. Melodias, versos e entonações que deveriam ser dirigidas às quatro  direções do Universo. Lembrou também a importância de se praticar a Cerimônia do Cachimbo da Paz, onde homens e mulheres deveriam se reunir para honrar as suas almas, para honrar o próprio grupo e a sua União com o Universo.

A Mulher do Búfalo Branco se despediu indicando-lhes que enquanto fizessem todas estas cerimônias sagradas e cuidassem da Terra, Ela os protegeria. Antes de partir, trouxe do horizonte uma extensa manada de búfalos preto. Eram tantos que as montanhas se cobriram de escuridão e o solo tremia debaixo dos pés. O mundo bombeava novamente uma renovada força frente à chegada desses animais que representava a sobrevivência para os nativos americanos. E, a partir deste dia, o búfalo passou a  fornecer alimento para as pessoas, pele para suas roupas e tendas e ossos para todas as suas ferramentas. Ao partir, a Mulher do Búfalo Branco se despediu dizendo: Eu os verei novamente.

2019 – Workshop Conhecendo o Silêncio

 

Workshop – Conhecendo o Silêncio

Data: 22,23 e 24 de novembro de 2019
Público: Psicólogos

Local: Recanto Pascal
Rodovia PR 317, Km 09 – Maringá – PR – Brasil

A tua alma se agita com os desafios inevitáveis da vida? A minha também.

O teu coração está triste pelos afetos postergados e, hoje, impossibilitados de serem expressos? O meu também.

Os teus pensamentos tecem diálogos infindáveis que desarmonizam o teu espírito? Os meus também.

O teu querer te lança dolorosa e interminavelmente em muitas direções sem nada ter clareza? O meu também.

Os teus dias são marcados por experiências que gostaria de evitar? Os meus também.

O teu desejo te faz desejar atravessar o tempo e o espaço e ter a oportunidade de mudar lá mesmo o que já está posto? O meu também.

A tua memória te faz, reiteramente, experenciar um oceano tempestuoso de feitos dolorosos? A minha também.

A… A minha também…

O teu Ser deseja tudo isto alquimizar? O meu Ser, ardentemente, também.

Então, o que? como fazer?

Somente o Silêncio mais profundo das profundas profundezas da Vida irá nos responder.

Simpósio 2019 | Divulgação

Deseja ser tocado pelo inusitado que lhe abre novas possibilidades perceptivas? Então, navegar é preciso. É necessário arriscar o soltar das amarras que te mantem seguro em terrenos já conhecidos. É imprescindível confiar em suas asas frágeis. É vital confiar no fino tecido da eternidade que te ampara e te lança para novos aprendizados.

Simpósio 2019 | Divulgação

Simpósio2019_Texto12.2

Desperte! Você tem asas para alçar voos singulares.

Simpósio 2019 | Divulgação

Olhando para a Terra consigo ver Seres exercitando a amorosidade. Consigo ver Seres superando barreiras impostas por crenças limitantes. Consigo ver Seres realizando esforços genuínos para fazer nascer a tolerância sem conivência para com as limitações. Consigo testemunhar a expressão cotidiana de uma dimensão humana mais diferenciada. Consigo sentir uma onda de boa vontade evolutiva prestes a se tornar ação no mundo…

Simpósio 2019 | Divulgação

Naturezas e diferenças inconciliáveis? Só se assim o desejarmos para justificar as nossas necessidades.

Simpósio 2019 | Divulgação

Contemple! Aproxime-se atentamente dos eventos que a vida cotidiana inesperadamente lhe apresenta. As experiências diretas em tempo oportuno (Kairós) ilumina o entendimento e confere algum grau de sabedoria ao agir.

Blog no WordPress.com.

Acima ↑